sábado, 31 de julho de 2010

Primeiro Casamento Gay Acontece na Argentina

BUENOS AIRES (AFP) - Dois homens que estavam juntos há 27 anos se tornaram o primeiro casal a celebrar uma união civil nesta sexta-feira na Argentina sob o amparo de uma lei aprovada pelo Congresso, uma legislação pioneira em nível nacional na América Latina.
A cerimônia civil entre o arquiteto José Luis David Navarro, de 54 anos, e o funcionário público aposentado Miguel Angel Calefato, de 65, foi celebrada na cidade de Frías, na província de Santiago del Estero, onde vivem há seis anos.
"Estamos juntos há 27 anos. Isto para nós é quase um protocolo, mas foi uma grande conquista a aprovação da lei", disse Navarro à televisão.
Navarro se mostrou surpreso porque "foi desencadeada uma correria de agendamentos de datas para serem os primeiros" a se casar através da lei aprovada no dia 15 de julho pelo Congresso, e esclareceu: "o nosso estava programado".
Pouco depois, também na manhã desta sexta-feira, um ator e um representante de artistas se casaram em um cartório de registro civil de Buenos Aires após 34 anos de convivência.
O representante Alejandro Vanelli, de 61 anos, e o ator Ernesto Rodríguez Larrese, de 60, casaram-se no mesmo lugar onde há três anos tiveram esta possibilidade negada.
A nova legislação reforma o Código Civil, mudando a fórmula de "marido e mulher" pelo termo "contraentes".
Além disso, iguala os direitos dos casais homossexuais aos dos heterossexuais, incluindo os direitos de adoção, herança e benefícios sociais.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Celso Roth Mostrou!

Não posso deixar de falar: Celso Roth mostrou.
O Internacional fez um maravilhoso jogo, posse de bola dominante, ataque dedicado, defesa qualificada. Nosso goleiro nem precisou suar. Merecíamos mais gols, mas tem o Rogério Ceni como goleiro...
E ainda precisamos melhorar as finalizações.
Só assim para aliviar um pouco o cansaço da campanha. E, além de ver o Inter fazer aquele baita 1 X 0 sobre o São Paulo, assistir o jogo com velhos e novos amigos.
Muito bom!
Melhor será domingo. Gre-nal. Mostra, Celso Roth!
Aos novos amigos colorados: Bem-vindos! Outras e muitas vitórias nos esperam, além do Futebol. Amanhã é dia de Lula e Dilma em Porto Alegre,

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Mostra, Celso Roth!

Um tempo atrás, quando Celso Roth estava treinando o Grêmio, e o Grêmio estava de mal a pior, fiz (eu e outros colorados) um comentário maldoso: Afirmei que Roth é colorado.
Claro que foi um comentário leviano.
O problema não era o técnico, era o time, e isto está dando para ver.
Mas que o Inter está fazendo bonito agora, de volta ao comando de Roth, ah, isto está.O coro Fica Celso Roth, agora dos colorados sorridentes, pode deixar muitos gremistas abatidos.
Pois é...

terça-feira, 27 de julho de 2010

Homofobia é crime!

Recebi agora uma informação que torço para não ser verdadeira. Uma menina (para mim), transexual, de Campinas, foi espancada e quase morta por alguém que, preso, defendeu-se dizendo ofendido. Camille foi agredida no corpo e cabeça, e já estava tendo seu corpo enterrado quando o agressor foi surpreendido.
Esta é a triste realidade do país onde mais homossexuais são assassinados simplesmente por terem encontrado outra forma de amar e ser felizes.
Enquanto houver no mundo um único ser oprimido ou explorado, não hacerá igualdade nem liberdade.
Que Camille recupere-se e que o agressor receba punição exemplar.
Pela imediata aprovação da PEC que classifica  homofobia como crime.
Justiça!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Pensando na FASE



 Estatutos são como crianças: para conhecer uma criança, só brincando e interagindo com ela. Para entender um Estatuto, só o vendo sendo cumprido. Ou não.
Mas o barulho ou a falta de barulho que acompanha a elaboração e aprovação de um estatuto já aponta os rumos e tendência. Trabalhava na antiga FEBEM quando iniciamos o desmonte da instituição, a separação entre FASE e FPE, e quando acabaram-se os resquícios de alguns horrores que acompanhavam o Código de Menores. E assisti a uma sociedade dividida, alguns entendendo que o ECA é um instrumento capaz de assistir e dar proteção e abrigo a imensa massa de crianças e adolescentes em situação de risco ou abandono e os autores de atos infracionais;
Assisti também ataques de fúria  moralista. Queriam a redução da maioridade penal. Ouvi pessoas propondo maioridade penal a partir dos dez anos, outro doze, catorze, dezesseis. Cada ato infracional cometido por um adolescente menor de 18 anos reacende o debate. Mas poucos de debruçam a observar as condições de vida destes infratores, suas origens, suas famílias.
Em sua maioria negros, muitos analfabetos funcionais (escrevem o nome e lêem alguma coisa, mas não conseguem escrever uma frase). São rapazes sem trato, sem roupas de adolescentes, sem vida de adolescente, sem escola, sem trabalho, Maioria de dependentes químicos, oriundos de famílias desestruturadas. Quando já não estabeleceram a própria família biológica ou parental Não tem qualificação profissional, oportunidades de trabalho são as de maior precariedade. Sem vínculo empregatício, tarefas subtarefas, mal-remuneradas. Mas emprego formal, mesmo com a alta nos índices, não atingea os muito pouco qualificados. Ainda existem pessoas sem documentação básica em Porto Alegre. Existe trabalho infantil. Existe trabalho escravo no Brasil. 
E meninas cooptadas para a prestação de serviços sexuais.
As meninas que estão cumprindo medida estão, em grande parte, envolvidas com o tráfico ou atuando junto com os campanheiros ou namorados. Por toda uma estrutura extremamente machista e conservadores, algumas mulheres e meninas assumem os atos infracionais dos namorados, carregam as armas, o produtos dos furtos. Quando apreendidas, manifestam afeto e consideram-se retribuídas por namorados ou companheiros, mas raramente recebem suas visitas. No final das sentenças, poucas retomam o vínculo.
Numa sociedade que sabidamente não tem emprego para todos os seus cidadãos, e cuja concentração de renda beira a vergonha vamos encontrar parte da juventude e de terceira idade empregados, por exemplo, pelo tráfico..
É óbvio que apesar de entendermos estes fatores atenuantes, o ato infracional nos assusta, atemoriza. Violência nenhuma tem justificativa e TODA ELA deve ser penalizada com a restrição de liberdade. Mas não basta tirar das ruas. É fundamental que lhes seja apresentada uma nova possibilidade de vida, outra alternativa de sociedade. É preciso mudar todo um conceito de cidadania e direitos, dele e das outras pessoas. De responsabilidade e de contenção dos impulsos. Pode-se pensar, querer e não fazer. Convencer a alguém habituado à discriminação, à miséria moral e social que a vida pode ter outro sentido esbarra fatalmente em questionamentos sobre as diferenças de extrato social e o por que delas.
É imprescindível tornar este infrator um cidadão. Privação de liberdade sim, mas também alternativas, opções, profissionalização. Políticas públicas, acompanhamento social e educação são a única maneira de ressocializar um infrator.
Como trabalhadora do setor, conheço o outro lado: Do funcionário mal capacitado, cansado, com baixa remuneração, sofrendo assédio moral diuturnamente, forçado a jornadas de até 60 horas sem intervalo, sem material básico para trabalhar, constantemente coagidos, sendo coagidos no desempenho de suas atividades sindicais. Sem nenhum acompanhamento psico-social. Seu trabalho consiste na convivência com uma clientela que impõe a disputa de poder e o questionamento da autoridade. Em sua grande maioria estes adolescentes estão lá por absoluto desconhecimento ou desprezo por limites. Onde a máxima “para estar morrer basta estar vivo” está presente na imensa maioria dos casos. Quando a própria vida vale nada, porque a vida de outro valeria? O que vale a vida de um trabalhador para um destes adolescentes? Enfrentar isto todos os dias, ter hora para entrar. Não para sair. Só.
E mesmo com as dificuldades estruturais desta instituição, os trabalhadores c trabalhadoras deste setor é quem mantém os autores de atos infracionais com um mínimo de normas e programas. Porque a cada quatro anos mudam em sua maioria os projetos opostos pelos governos que se alternam.
Inda bem; Mas inda bem que estamos nós no serviço público para sabermos o que e como fazer.
O que não dá pra entender é este povo que ainda acha que tem gente (pobre, claro) que nasce  pro mal, e daí só mesmo com a redução da idade penal.

sábado, 24 de julho de 2010

quarta-feira, 21 de julho de 2010

IBGE ... SE VOCÊ FOR LGBT, DIGA QUE É !



CENSO 2010 : ABGLT lança campanha - "IBGE ... SE VOCÊ FOR LGBT, DIGA QUE É !"

No Censo Demográfico 2010 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai contar também casais homossexuais.

Neste sentido, a ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – estará recomendando a todas as 237 afiliadas que incentive através das Paradas LGBT, das redes sociais da Internet, e em todos os eventos, a divulgação da seguinte frase "IBGE ... SE VOCÊ FOR LGBT, DIGA QUE É !" 
Pela primeira vez em todo o Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai contabilizar casais homossexuais no Censo Demográfico 2010. A proposta do instituto é trazer informações atualizadas de acordo com as mudanças da sociedade brasileira nos últimos anos.
“No passado nós só perguntávamos se eram cônjuges. Hoje nós abrimos para cônjuge do mesmo sexo e cônjuge de sexo diferente”, explica o presidente do IBGE, Eduardo Pereira Nunes.
Só vão ser contabilizados os casais homossexuais que declararem, no questionário de perguntas, que moram no mesmo domicílio em união estável. O IBGE já utilizou questionários com questões sobre a união estável homossexual em alguns municípios, mas esta será a primeira vez que a pesquisa envolve todas as cidades brasileiras.
Mas para o coordenador técnico do censo do IBGE, Marco Antônio Alexandre, a mudança não foi feita com o objetivo de revelar o percentual homossexual da população brasileira, até porque nem todos vivem em união estável. 
O Instituto vai visitar 58 milhões de domicílios em 5.565 municípios. “Quando os(as) recenseadores(as) baterem em sua porta e você for “casado(a)” com uma pessoa do mesmo sexo, diga que é. É importante que nós  ativistas e governo tenhamos dados concretos para construirmos políticas públicas”, disse Toni Reis, presidente da ABGLT. 

A Contagem da População pelo IBGE em 2007, realizada em cidades pequenas, identificou, pela primeira vez, 17.560 pessoas que declararam ter companheiros do mesmo sexo. Desse total, 9.586 homens se declararam cônjuges de companheiros do mesmo sexo, o mesmo ocorrendo em relação a 7.974 mulheres. 
Informações adicionais: 
Toni Reis – Presidente da ABGLT – 41 9602 8906
Carlos Magno – Secretário de Comunicação da ABGLT – 31 8817 1170
"IBGE ... SE VOCÊ FOR LGBT, DIGA QUE É !"

terça-feira, 20 de julho de 2010

Para refletir

O Brasil:
Com Lula o Brasil cresceu. A partir da implantação de políticas públicas eficientes, como o PAC,
Pró-Uni, Pró-Jovem, Luz Para Todos, ampliaçãodo Bolsa-Família, entre outros, 24 milhões de
brasileiros saíram da linha da pobreza.O acesso à universidade beneficiou milhares de jovens,
a economia cresceu, enfrentou e venceu a grave crise econômica internacional. O acesso a
bens de consumo foi ampliado, e hoje, para seguir crescendo, precisamos de DILMA presidente!
O Rio Grande do Sul:
Na contramão do país, o Estado precarizou os serviços oferecidos à população.Educação e Saúde
não receberam o investimento previsto por lei. Ao invés de prevenir com investimentos e programas
sociais, a segurança pública tornou-se caso de polícia. Os movimentos sociais tornaram-se crime.
Escândalos que nunca antes haviam atingido o RS tornaram-se corriqueiros e não foram apurados.
Por isto o RS precisa de Tarso governador!
O Serviço e os servidores públicos:
Durante os últimos anos, servidores públicos viram seus salários minguarem.O malfadado corte de
custeios fez com que os serviços oferecidos à população fossem reduzidos Sem concursos públicos
necessários à reposição de aposentadorias, óbitos e demissões, o número de trabalhadores do setor
reduziu-se, enquanto a demanda aumentou. Resultado: Menos trabalhadores, menos remuneração,
mais trabalho. Os serviços públicos só não pararam por conta da dedicação e empenho dos
servidores públicos.
Políticas públicas:
O dever dos governantes é prover seus cidadãos de suas necessidades básicas: Saúde, educação,
segurança, transporte eficiente, atenção e assistência aos grupos sociais vulneráveis, habitação,
lazer e cultura. Para isto, precisamos de leis eficientes e de mecanismos e parlamentares que
garantam o cumprimento destas leis. Precisamos de servidores valorizados, com salários dignos e
programas de capacitação para atendimento à população.
A opressão decorrente da falta de políticas públicas e de investimentos no serviço público
empobrece o trabalhador, aumenta a desigualdade e diminui a qualidade de vida. Porque só quem
tem dinheiro pode pagar por educação de qualidade, planos de saúde, segurança privada.
Não somos cidadãos de segunda categoria! Exigimos o que é nosso!
Estado forte, laico, com políticas públicas eficientes, distribuição de renda, servidores valorizados,
investimentos públicos em saúde, educação, prevenção à criminalidade com programas sociais.
Este é o caminho para o bem-estar da população e o desenvolvimento social.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Os dois lados do rio

Eu tenho um único inimigo: a exploração do homem pelo homem. Os derivados desse mal se espraiam de várias formas: no imperialismo, fome, na guerra.o preço do remédio, na destruição da natureza, na privação da educação, na falsidade midiática.
O que não está contra isto, está a favor. De várias maneiras, em diferentes níveis de comprometimento. Marx: Socialismo ou barbárie.
 
 
(magem capturada no ótimo http://aritavoou.blogspot.com/
Vale a pena visitar)

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Argentina: Igreja Católica organiza marcha contra a união civil gay

Reproduzo, dada a gravidade da informação. A igreja católica, monoteísta e reacionária, coloca-se na contramão da história. Da mesma linhagem dos papas que incentivavam a escravidão, a inquisição, a proibição do uso de preservativos, agora organiza-se para impedir que pessoas tenham seus direitos respeitados. 
Por que será que a dor alheia é tão cara para o catolicismo? Serão seus dirigentes seres profundamente infelizes? Será que o sangue humano derramado lhes traz tanto prazer? Onde estão seus pretensos ensinamentos sobre caridade, respeito, solidariedade?

A Igreja Católica na Argentina está organizando uma marcha em direção ao Congresso para que este não aprove a união civil gay. O cardeal Jorge Bergolio declarou à imprensa que esta é uma "guerra de Deus" e afirmou que o projeto de lei é "do diabo".
Para o cardeal, o casamento entre pessoas do mesmo sexo pretende "destruir o plano de Deus". Bergolio, que ficou em segundo lugar para substituir o Papa João Paulo II, está convocando a população argentina para participar da marcha, que aconteceu na noite nesta terça-feira (13).
Paróquias, escolas religiosas e outras instituições católicas pediram aos senadores que não aprovem a união civil entre pessoas do mesmo sexo. Segundo a imprensa argentina, o debate em torno da união civil gay é o mais intenso desde a votação da lei do divórcio, em 1987.
Caso o projeto seja aprovado pelo Senado, a Argentina será o primeiro país da América Latina e o décimo do mundo a ter uma lei de casamento homossexual válida em todo o território.

Argentina, hoje!

Esperamos que a aprovação da união civil para casais homoafetivos aconteça hoje na Argentina. Será um grande, imenso passo para a aprovação deste direito na América e no mundo. Afinal de contas, em pleno século XXI é incompreensível que a forma de amar tenha que ser obrigatoriamente igual para todos os seres humanos.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Considerações sobre a eleição 2010

Pesquisas à parte, mesmo com diferenças, uma coisa é certa: Desta vez, ninguém da esquerda pode entrar na disputa de salto alto.
Muito chão para pisar, muita estrada para trilhar.
Temos tudo para avançar o projeto nacional de desenvolvimento inciado por Lula e trazer o Rio Grande de volta para o caminho da democracia, da prosperidade, da justiça social.
A importância da eleição para presidente não diz respeito só a nosso país. O Brasil hoje é balizador do equilíbrio e da democracia mundial.
Não nos deixemos enganar pela tucaninha verde reacionária e homofóbica: Somente Dilma pode continuar levando o Brasil a erradicar a pobreza, a distribuir renda, a fazer o contraponto ao neoliberalismo mundial.
Não nos enganemos, não relaxemos nem antecipemos a vitória: O caminho até a eleição é longo, e o capital não se deixa levar tão facilmente.
Boa luta para todos nós!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Entre a terra e a fibra ótica

Será que eu posso sentir saudades dos lugares sem telefone, internet, tv?
Será que existem ainda estes lugares, e estão disponíveis?
Mente viaja enquanto escuto e escrevo e falo e decido,
Água potável e limpa, casas sem grades,
hortas de fundo de quintal, verduras de folhas pequenas e gosto e3 verão.
Lamparinas alimentadas à óleo,
pequenas chamas  para driblar as noites,
e ótima compania.
Contos, causos, cantos.
Portas e janelas de madeira pintadas,
bugios roubando bananas.
.
Chego de volta onde estou e nem nunca saí.
Foram poucos segundos de memórias,
frações dos momentos passados,
engrizilhados na realidade que não é ruim.
Como todos, fiz minhas escolhas,
mas de sentir saudades não tenho como me livrar.
Cheiro de mato e sol queimando,
Flores amarelas e azuis perdidas
nas encostas das colinas nem tão altas.
TV ligada, computador e trabalho pendente,
telefone tocando, tarefas.
Inda me recolho nas imagens da mente,
e intercalo as memórias com a vida,
inexorável e sempre surpreendente.
Bom mesmo é a vida e viver.

Desconstruir Opressões: Vida!

Você já passou por situações de humilhação, maus-tratos, ofensa, discriminação ou
agressão física por assumir ou ter presumida a sua opção sexual? Se sua resposta
for não, dificilmente você tenha demonstrado um comportamento sexual diferente
daquele que a sociedade considera normal: relacionar-se com seu "sexo oposto",
falar, se vestir e agir como um verdadeiro "homem" ou uma verdadeira "mulher".
1) A homofobia, nome genérico pelo qual conhecemos o preconceito contra as
pessoas com orientação sexual diferenciada se dá de diversas formas. A família
muitas vezes não consegue conviver com outras maneiras de amar e buscar a
felicidade, e termina por expulsar familiares com tal comportamento, ou simplesmente
nega a homossexualidade dos mesmos, condenando-os a uma vida de solidão e
infelicidade. Na escola, a não-capacitação e o preconceito de muitos educadores
inviabiliza as condições para o aprendizado, sendo mesmo coniventes com diferentes
situações de bulliyng e de segregação. Pesquisas mostram que no trabalho, além do
constante assédio moral, pessoas com orientação sexual diferenciada assumida
cumprem tarefas menos qualificadas e recebem menos.
2)Ainda que a própria Constituição Brasileira garanta que cidadão algum seja
discriminado por sua orientação sexual, as pessoas que ousam transgredir às regras
heterossexuais da sociedade são diariamente torturadas pela ignorância e pelo
preconceito da homofobia. Buscando garantir os direitos à livre expressão sexual e à
cidadania das pessoas com comportamento sexual diferenciado, existe inclusive um
Projeto de Lei que considera crime a agressão ou a discriminação de homossexuais. É
a PEC 122/2006, que está trancada no Congresso Nacional, presa por políticos que
defendem interesses homofóbicos e reacionários e demagógicos.
3) Como acontece com a Lei Afonso Arinos, que criminaliza as manifestações
do racismo, essa PEC pretende criminalizar a homofobia, impedindo a ação daqueles
que não aceitam as diferenças de orientação sexual, queremos também a aprovação
da lei que permite a união civil, ou seja, o casamento entre pessoas do mesmo gênero,
através da PEC139/1995, que garante aos casais homoafetivos os mesmos direitos
que possuem os casais heterossexuais.
4)Sabemos que uma real mudança no comportamento das pessoas não
acontecerá somente pela existência de leis. Como cidadãos, exigimos políticas
públicas de saúde, que devem ser oferecidas pelo SUS com quadro de trabalhadores
devidamente qualificado para o atendimento de lésbicas, gays, travestis, transexuais e
transgêneros, de forma a atender as singularidades e garantir a dignidade de cada
pessoa, evitando de mutilações e riscos vida causados por procedimentos de
descaso ou sem os devidos cuidados.
5)Propomos a criação dos Centros de Referência e Atendimento, de
Delegacias Especiais e de ouvidoria nos Ministérios Públicos dos estados da União
para pessoas com orientação sexual diferenciada. Nestes espaços construiremos
também o reforço de ações de inclusão e cidadania, como confecção de
documentação, alfabetização e escolarização, encaminhamento para atendimentos de
saúde, profissionalização e para atividades profissionais, com ênfase no resgate da
auto-estima e compartilhamento de experiências positivas.
6)A recente conquista do direito ao uso de nome social nas escolas, permitindo
que travestis sejam reconhecidos da forma como desejam ser, mostra que nossas
lutas são possíveis. Lutemos pela a liberdade de ser quem realmente somos e
queremos ser, sem temer a recriminação, a repressão e a hostilidade. Construa-se
nas diferenças uma sociedade de iguais. DIFERENTE, SIM. DESIGUAL, NUNCA.

Ainda a Lagoa


Morros para trilhar,
Folhas desgarrando tímidas das árvores dos matos do sul.
Pensamentos vagando entre dúvidas,
Marés invadindo mangues,
Imensidão

quarta-feira, 7 de julho de 2010

A lagoa








Escrevi um poema sobre a lagoa dois ou três dias atrás.
Na verdade, já tinha quase um mês
Postei no blog, lembrando de bordados em brim e praias de águas escuras.
Não dei detalhes.
Recebi em meu e-mail,  alguns telefonemas, comentários  do tal Buzz,  aquela outra ferramenta do Google. Boa.
Nunca tantas pessoas se manifestaram sobre algo que eu tenha escrito neste blog.
Mais alimentam a lenda da lagoa: A lagoa é sempre e tudo.
E eu nem disse quem ela é. Nem postei uma foto da própria lagoa.
Agora vai uma foto dela.
Se alguém ainda não sabe, estamos falando de Itapuã,
Quando o Lago Guaíba se junta à lagoa dos Patos.
Quem não conhece, não entenderá.
Quem não conhece perde um pedaço da vida.

terça-feira, 6 de julho de 2010

segunda-feira, 5 de julho de 2010

O que falar?

Poderia ter tocado neste assunto antes, mas lá vai. Saímos da Copa. Agora a poeira está baixando, a Argentina também saiu, a mim resta torcer para o Uruguai. Se os hermanos forem eliminados pela Holanda, prá mim a Copa acaba amanhã mesmo.
Jogadores de volta, Dunga demitido (como era de se esperar, afinal ousou contrariar a Globo), cada comentarista esportivo agora espinafrando o time, o técnico, a cor da chuteiras. Em tudo enxergam a cristã culpa.
Mas afinal de contas, quantas seleções mesmo começaram a disputa da Copa? Quantas podem chegar à final? Quantas podem vencer a disputa?
Um único campeão, e tem que ser o Brasil. Claro que queremos, queríamos, acreditamos.
Mas se entendermos que não tem troféu prá todo mundo, fica mais fácil aceitar que neste sistema, alguém tem que perder, e desta vez, mais uma vez, fomos nós.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

A lagoa


Cheia de gente, no verão,
A lagoa encanta.
A lagoa refestela suas águas
Com riscos de prata debaixo do sol.
A lagoa revolta Suas águas
Nas chuvas barrentas de janeiro.

Os ruídos da lagoa só aparecem
Quando a madrugada vai alta.
O vento sopra de manhãzinha
E quanto venta, se ouve barulhos
Que vem longe, do sul da lagoa.

Mesmo inverno, a lagoa chama.
Ventania forte e longe,
Águas mais límpidas,
Peixes passeando entre os juncos

Dia curto, noite longa.
Luas grandes e águas brabas.

A lagoa povoa sonhos
Pesadelos e pensamentos.
A lagoa com sua areia e seus seres
A lagoa é sempre e toda.


São Pedro do Rio Grande

Ontem foi dia de São Pedro, padroeiro do Rio Grande do Sul. Não sei se as igrejas fizeram alguma atividade, culto, missa, sei lá. Se fizeram, foi só a católica, já que, seguindo a linha protestante, as quadrangulares, universáis, deus é santo ( o que não deixa de ser um rebaixamento da divindade, certo?)e congêneres não cultuam santos.
Aliás, o chamado Batuque também não trabalha com imagens. Aquela Iemanjá magérrima, elegantérrima, pele branca e cabelos pretos, esvoaçantes, foi invenção da umbanda, do século passado, que é uma mistureba de muitas coisas, algumas que nem mesmo eles entendem bem.
O Iorubá, entretanto, obrigado que foi a se mesclar com o catolicismo para poder sobreviver, criou artimanhas para poder continuar a cultuar seus deuses.
E desta forma, Santo Antônio virou Bará Agelú, e São Pedro virou Bará Lodê. A diferença entre ambos é que Agelú é o menino carregado no colo de Santo Antônio, é o orixá criança, e vive na beira dos rios e mares. O outro, Lodê, é o Bará grande, adulto quase velho, que controla os caminhos, as estradas, as encruzilhadas.Esta coisa de sincretismo acabou foi por criar uma tamanha confusãqo, um orixá para cada santo católico, uns nada a ver, outros com uma que outra parecença.
Pela origem dos negros trazidos para o Brasil como escravos se estabeleceram as chamadas nações religiosas. Na Bahia o candomblé, bem diferente da nação. Quando estive na Venezuela visitei um ilê extremamente parecido com os que existem no Rio Grande do Sul, no Rio de Janeiro e Belém do Pará. Os motivos da parecença deixo para os estudiosos. Mas sei que hoje, quem quiser estudar ou compreender as religiões animistas africanas vem ou ao Brasil, à Venezuela, ou à Cuba. Outros países da América Central tem traços animistas, mas já diferentes desta raiz trazida para cá. Na África mesmo, o que existe hoje são as almas salvas pelos missionários cristãos, protestantes mas principalmente a sharia, a severa lei muçulmana. E todas elas destroem quaisquer vestígios do "primitivismo" da rica cultura africana.
MAs reza a lenda que um ocutá (pedra que representa o orixá)  foi enterrado no meio do Mercado Público de POrto Alegre pelos meados de 1800 por um príncipe africano trazido como escravo ao Brasil e radicado em Pelotas. O fato é que o Mercado Público,com sua parafernália de produtos artesanais, carnes e legumes continua a ser passagem obrigatória para os aprontamentos de matriz africana.
E ontem, dia de São Pedro, assisti uma belíssima roda de batuque, com direito a tambores, agês, sinetas, axós (vestimentas típicas) e muitas rezas em yorubá.
E desejei ardentemente o dia em que os religiosos de matriz africana desliguem-se do sincretismo que foi necessário na época dos horrores da escravidão para assumir simplesmente o culto a seus orixás.